Mudar a nossa visão de mundo

Aparentemente, estamos sendo chamados a despertar, porque essas separações não existem e nós precisamos mudar a nossa visão de mundo. As consequências dessa mudança são imprevisíveis, mas é ela que nos leva a ter esperança e a sentir compaixão.

A visão quântica do mundo transcende a divisão entre o espírito e a matéria, considerando ambas como sendo arraigadas no cerne da criação. Inter-relacionamentos e comunicações entre todos os aspectos da criação em parceria uns com os outros negam as noções de primazia e dominação. Cada faceta da realidade depende de todas as outras. O equilíbrio dos sistemas ecológicos requerem essa interconexão e inter-dependência. Não somente cada parte de nós é sustentada pelas outras partes do corpo e da mente, como também cada pessoa, como um todo, é interconectada ao inteiro organismo do universo e às suas partes, delas recebendo e a elas oferecendo suporte. Estamos descobrindo atualmente que essa separação é ilusória, e que quando nos identificamos com base nas diferenças pertinentes à nossa espécie, nos tornamos cegos à realidade da nossa unicidade com o todo.

Nossa identidade humana, neste Século XXI, será definida mediante o reconhecimento daquilo que temos em comum com as outras espécies. Aquilo que todos partilhamos é que nos dá o sentido da nossa realidade e nos liga em amor e união. Essa visão de mundo que está emergindo é holística e a espiritualidade que desponta dessa perspectiva fala da integridade tanto dentro de nós mesmos como externamente, com relação à comunidade mais ampla – a comunidade global, a comunidade das nações, das culturas, das religiões – e, mais ainda, em relação ao conjunto de todas as espécies, na comunidade da vida.

arte arte

Além disso, os dados atuais da pesquisa nos campos da física e da biologia alteram de modo considerável a nossa atitude não somente com relação ao nosso próprio corpo como também para com a vida vegetal e animal. Enquanto nos víamos como seres separados e superiores aos outros, nos comportávamos como quem fazia algo “pelos” outros; mas hoje sentimos emergir a sensação de fazer as coisas “com” os outros.

A medicina holística atua em sintonia com o corpo. Ela nos ajuda a canalizar as energias naturais do corpo. Ajuda-nos a facilitar a nossa interconexão com os outros campos energéticos que nos circundam, isto é, não somente a energia entre quem cura e o paciente que é curado, mas também entre todos os outros níveis da existência – com a energia cósmica, com o poder de cura espiritual (a comunhão dos santos) e com a energia de Cristo no universo.

A maneira como tratamos os animais e as plantas também envolve nurtrirmos os poderes envolvidos na nossa cooperação com essas criaturas e não naquilo que fazemos “por” elas ou “contra” elas.

Hoje compreendemos que explorar as criaturas da terra pensando somente no nosso benefício pessoal, sem nenhuma consideração para com o bem-estar das mesmas – utilizando-as como fonte de alimentação (muitas vezes de modo excessivo, por meios desumanos de tratamento, manutenção e abate), ou somente utilizando-as como fonte de prazer (porque nos dão peles, ou marfim, ou como divertimento esportivo em competições, ou como animais de circo, ou de jardim zoológico) – constitui violência e degradação, provocando um campo de negatividade que afeta não somente a vida dessas criaturas, como também a nossa própria vida.

Irmã Barbara Fiand, SND

Pergunta para reflexão:

O que percebo ao meditar sobre como me tornar mais compassivo/compassiva? Como eu poderia exprimir essa compaixão?

COMUNIDADE

Entra na comunidade

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

3 banner preghiera pt

4 banner canonizzazione pt

1 banner celebrando pt

2 banner p biblico pt

6 banner donazioni pt

Newsletter