Irmã Marie Heitkamp, SFP

 alt

Foi na Festa dos Estigmas de São Francisco de Assis, depois de viver como Franciscana dos Pobres por 68 anos, que Irmã Marie Heitkamp partiu para a vida eterna em Jesus, a quem amava de todo coração.

Irmã Marie passou seus últimos anos no Lar Mercy Franciscan Terrace, em comunidade com as Irmãs que moram naquela instituição.  À medida que ia se tornando fisicamente mais frágil, tanto as Irmãs da família franciscana como sua irmã Dorothy Motsch e sua sobrinha, Judy Spagnoli se reuniram ao seu redor para orar pedindo a Deus força para a sua caminhada final até a eternidade.  Os funcionários do Franciscan Terrace amavam Irmã Marie, confiantes de que Deus ouviria suas orações em favor deles.  Irmã Marie encontrou seu Criador, que a havia chamado para se dedicar ao serviço do seu povo, às 13:20 de 17 de setembro, enquanto as Irmãs oravam à cabeceira do seu leito.  Às 13:30, já unidas aos outros residentes, oraram o rosário na capela situada ao lado do seu quarto.

Nascida no lado leste de Dayton, Ohio, no dia 28 de novembro de 1924 e batizada com o nome de Geneva dois dias depois, Irmã Marie era a sexta dos sete filhos de Matilda Niekamp e Clement Heitkamp: Geneva, Grace, Arthur, Dorothy, Hugh, Norbert e Kenneth .  Os Sacramentos marcaram os momentos mais importantes da vida de Geneva, que fez Primeira Comunhão no dia 28 de abril de 1933, aos nove anos de idade.  Não era nada fácil para o casal Heitkamp providenciar para as necessidades de uma família tão numerosa naqueles anos da Grande Depressão.  Geneva estudou na St. Mary Grade School, onde se graduou em 1938, no mesmo ano em que recebeu o Sacramento da Confirmação, em 20 de janeiro.  Durante o Aspirantado, Geneva frequentou o curso secundário na escola situada dentro da propriedade do Convento Santa Clara, em Cincinnati, Ohio.

Geneva optou por responder ao chamado de Jesus e abraçou a vida religiosa na Congregação das Irmãs Franciscanas dos Pobres no dia 6 de janeiro de 1941, apenas cinco semanas antes de completar 16 anos.  Foi quando recebeu o hábito da Congregação, iniciando seu Noviciado canônico, que Geneva recebeu o nome religioso de Irmã Marie.  Depois da Profissão dos Primeiros Votos, no dia 8 de setembro de1943, Irmã Marie voltou a estudar, diplomando-se pela escola Nossa Senhora dos Anjos em 1944.

Durante seus primeiros votos, Irmã Marie foi missionada ao ministério mendicante nos Conventos São Rafael em Hamilton, Ohio, e São Miguel, em Steubenville, Ohio.  Angariava doações para suprir à alimentação e outras necessidades dos pobres, além de visitar os doentes.  Nesse mesmo período, começou a fazer cursos de nível superior que foram fundamentais para os ministérios que assumiu mais tarde.

No dia 8 de setembro de 1948, Irmã Marie professou seus Votos Perpétuos e continuou seu ministério mendicante no Convento São João em Cincinnati.  Trabalhou em tempo parcial para a organização Catholic Charities e continuou seus estudos superiores no Our Lady of Cincinnati College.  Entre1950 e 1959, Irmã Marie serviu como Mestra do Pré-Noviciado, e concluiu tanto o seu bacharelado em Psicologia pela Dayton University como o seu Mestrado em Psicologia Clínica pela Xavier University.  Em 1961, ela foi a pioneira no cargo de Diretora de Vocações da nossa Congregação.  Em 1965, transferiu-se para Roma no intuito de aprender as técnicas de retiro do Movimento por um Mundo Melhor, viajando extensamente logo a seguir, como membro da equipe de retiros, não só através dos Estados Unidos como também em Porto Rico e na Jamaica.

Irmã Marie foi uma “estudante pela vida toda”, sempre empenhada em obter todos os conhecimentos possíveis para ser mais eficiente em seus ministérios. Fez doutorado em Educação Especial dirigido aos emotivamente debilitados na Wayne State University, diplomando-se em 1978.  Mais tarde, cursou a University of Detroit pela qual obteve o grau de mestrado em Psicologia Escolar, em 1982.  Irmã Marie aplicou aos ministérios todos os seus estudos e conhecimentos e de muitas maneiras, servindo por exemplo crianças em educação especial numa escola em Detroit, Michigan.

Nos seus 68 anos em vida religiosa, Irmã Marie sempre apreciou e enfatizou o seu empenho para com a vida de oração pessoal e comunitária.  Junto a Irmã Elizabeth Tierney, formou a comunidade de contemplação Mary’s Dwelling Place (Morada de Maria) situada na ala norte do Convento Santa Clara.  Com o falecimento de Irmã Elizabeth e com o declínio de sua própria saúde, essa comunidade se dissolveu em 2005 e Irmã Marie foi morar no Lar Mercy Franciscan Terrace.

Irmã Marie deixou uma lista detalhada das suas valiosíssimas experiências enquanto religiosa professa. Deixou também um breve enunciado datado de 22 de fevereiro de 1999 intitulado

    “Uma Espécie de Álbum Fotográfico e Autobiográfico”:

    “A essas palavras do rei, eles partiram.  E eis que a estrela que tinham visto no Oriente, ia à frente deles, até que se deteve sobre o lugar onde estava o Menino.  E, vendo eles que a estrela havia parado, muito se alegraram.”  (Mateus 2, 9-10)

    “Assim como os Reis Magos, também eu parti de ônibus de Dayton para Hartwell, Ohio, no dia 6 de janeiro de 1941, seguindo uma Estrela.  Lembro-me vivamente e posso ainda ouvir o ranger da neve sob meus pés enquanto caminhava da parada do ônibus até o endereço 60 Compton Road, por voltas das seis e meia da tarde, sendo calorosamente acolhida por Irmã Belina, que se encontrava na portaria.  Desde então tenho feito a experiência da providência de Deus, do seu amor e da sua presença que se desdobra no meu cotidiano.  Meus dons foram aceitos, transformados, repartidos e partilhados com todo um mundo expectante, e foram nutridos.  Assim como os Reis Magos, também eu havia sempre vivido à procura de Deus, cheia de esperança, exaltação e sonhos. Lembro-me bem de como iniciei a minha caminhada mendigando pelos pobres de porta em porta por quatro anos, o que me levou a servir como assistente social, como mestra do aspirantado por nove anos, como diretora vocacional, e conduzindo Retiros conforme o Movimento por um Mundo Melhor junto a uma equipe viajando por todo o país e chegando até a Jamaica e Porto Rico.  Depois, seguindo para Detroit, Michigan, ministrei como Psicóloga Educacional nas escolas públicas e, mais tarde, enquanto Psicóloga Clínica.  Atualmente exerço o Ministério Pastoral aos Idosos.  A história dos Reis Magos é a minha história porque se trata de um reconhecimento.  Procurar é uma coisa, mas reconhecer aquilo que encontramos é bem outra.  É reconhecer Deus e nós mesmos, a uma mesma luz.  Quando contemplo a escuridão dos céus à procura de uma direção, lembro-me que, antes de tudo, eu vi uma Estrela.  Quando tive a coragem de arriscar-me e de acreditar, encontrei a Deus.  Quando adquiri o tino suficiente para reconhecer que Ele estava dentro de mim, fui capaz de inclinar-me e adorá-lo.  A Estrela que me conduziu brilhando acima de mim começou pouco a pouco a brilhar no meu interior e a se tornar uma luz para o mundo.  Assim como os Magos, voltei por um outro caminho, porque nada seria mais o mesmo.”

Irmã Marie, que seguiu a Estrela à presença de Deus até o fim, nós lhe agradecemos por ter partilhado conosco a sua Estrela, agora que encomendamos o seu espírito ao amor da sua vida, Jesus Cristo, o Salvador, em cujo regaço vive agora para sempre.

Irmã Arleen Bourquin, SFP

Comunidade

Acesse sua conta de usuário

Nome de usuário *
Senha *
Lembrar de mim

3 banner preghiera pt

6 banner donazioni pt

tutela PT new

1 banner celebrando pt

banner history corner

2 banner p biblico pt

Newsletter

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco